22 de fevereiro de 2018

Resenha | O Menino do Dedo Verde - Maurice Druon

fevereiro 22, 2018 0 Comments

Título: O Menino do Dedo Verde (Tistou les pouces verts)
Autor: Maurice Druon
Ano de lançamento: 1986 32ª Ed (1957)
Editora: José Olympio (Gallimard)
Páginas: 149 (128)




Sinopse

Era uma vez Tistu... Um menino diferente de todo mundo. Com uma vidinha inteiramente sua, o pequeno de olhos azuis e cabelos loiros deixava impressões digitais que suscitavam o reverdecimento e a alegria. As proezas de seu dedo verde eram originais e um segredo entre ele e o velho jardineiro, Bigode, para quem seu polegar era invisível e seu talento, oculto, um dom do céu. Até o final surpreendente e singelo.



O Autor


Em 1948, Druon recebeu Prêmio Goncourt por seu romance “As Grandes Famílias”. Entre 1955 e 1960, ele criou a série “Os Reis Malditos”, traduzida para vários idiomas. Mas o escritor tornou-se mundialmente célebre por sua única obra infanto-juvenil “O menino do dedo verde”, publicada em 1957. Em 1966 tornou-se titular da Academia Francesa de Letras e ocupou o cargo de secretário perpétuo dessa instituição de 1985 a 1999. Foi também Ministro da Cultura durante o governo do presidente Georges Pompidou, de 1973 a 1974.


Consideração


Meu primeiro contato com o livro se deu a muito tempo, minha mãe adora esse livro e na época insistia para que eu lesse. Só eu sei o quanto me arrependo de não ter lido antes.
Sem muito a dizer, o livro é espetacular. Tistu é um garoto perfeito, com uma vida perfeita, pais perfeitos e cercados de pessoas perfeitas. Seu único problema é não se adaptar a escola, o que leva seus pais a escolherem uma educação particular onde descobre seus dedos verdes, capazes de espalhar a felicidade por onde quiser. Agora munido de um poder magnifico Tistu passa a levar, secretamente, a felicidade por todos os lugares da cidade.

- Meu filho - disse enfim, após madura reflexão - ocorre com você uma coisa extraordinária, surpreendente! Você tem polegar verde...
- Sr. Bigode - Capitulo 06

Aprendi com O Menino do Dedo Verde que pessoas podem mudar o mundo onde vivem com a simples vontade de ajudar o próximo, assim como Tistu mudou todos os lugares por onde passou simplesmente porque queria que as pessoas pudessem ser felizes como ele. Tistu não é uma simples criança, ele consegue ver além das soluções barbaras que parecem ser as únicas vistas pelos adultos. Sua inocência doce misturada com sua curiosidade e empenho em espalhar o amor me trouxeram carinho aos olhos. O Menino do Dedo Verde é, sem duvidas, um livro único e apaixonante com um final surpreendente.

- Descobri uma coisa extraordinária - disse Tistu em voz baixa. - As flores não deixam o mal ir adiante.
- Tistu - Capitulo 09


Olá Leitor,
Deixo com você essa dica espetacular com os votos de que a leitura seja pra você tão fantástica e transformadora quanto foi para mim. Tem algum livro que mudou a sua vida? Deixa nos comentários ou entre em contato conosco que vamos adorar saber, quem sabe esse livro não esteja entre nossas próximas resenhas. 










Fontes: Skoob Pt; Skoob Fr.

6 de fevereiro de 2018

Mangá One Shot | Ichi Rittoru no Namida - Aya Kito/Kita

fevereiro 06, 2018 0 Comments

Título: 1 Litro de Lágrimas ( Ichi Rittoru no Namida)
Autor: Kita
Ano de lançamento: 2013 (2005)
Editora: NewPOP (Gentosha)

Páginas: 176





Sinopse

"Por que essa doença me escolheu? Destino é algo que não se pode colocar em palavras." (Aya Kito)

Aya é uma garota que acaba de entrar no Ensino Médio quando descobre que possui uma doença grave, conhecida como Degeneração Espinocerebelar. Com o tempo ela perderá o equilíbrio, a capacidade de andar, mexer os braços e até de falar, mas manterá sua memória e mente intactas.

"O fato de eu estar viva é uma coisa tão encantadora e maravilhosa que me faz querer viver mais e mais." (Aya Kito)

Baseado no diário publicado pela verdadeira Aya Kito, 1 Litro de Lagrimas é uma historia emocionante cheia de superação e lição de vida para todos. Afinal, para contar algo tão triste com um sorriso no rosto é preciso de, pelo menos, 1 litro de lagrimas derramadas antes.


Consideração


Aya Kito ainda era jovem quando a vida lhe impôs uma carga tão pesada, uma doença rara e incurável que a faria perder, de pouco em pouco, suas capacidades motoras. Mas nenhuma carga é tão grande que não possa ser carregada e de cabeça erguida e aos tropeços Aya suportou toda responsabilidade.
Lutar para continuar uma vida normal não era fácil. Além das dificuldades físicas que atrapalhavam coisas simples como andar e subir as escadas, ainda existiam as dores emocionais causadas principalmente pelos colegas de escola e olhares tortos de outras pessoas. Mas as coisas melhoram quando Aya passa a ser uma aluna do colegial. Seus novos colegas entendem melhor o sofrimento e estão sempre a ajudando.


"Dizem que a caneta é mais forte que a espada. Realmente, as palavras possuem lâminas. Por mais que sejam pequenas e curtas, fazem um corte profundo. E deixam uma dor que não sara." 

Há também um livro, no qual foi baseada a história do mangá, chamado "1 Litro de Lágrimas - Diário da Garota Aya e Sua Luta Contra Uma Doença Incurável" que se encontra indisponível em qualquer loja online atualmente, inclusive na própria editora. Ele nada mais é do que o próprio diário de Aya, publicado pela mãe numa tentativa de ajudar outras pessoas. Seu conteúdo conta um pouco mais do que o mangá, falando sobre sua vida depois de trocar a escola do Ensino Médio, e por se tratar de seu próprio diário expõe de modo mais claro seus pensamentos, seu sofrimento com a doença que só avançava e também sua felicidade com as pequenas surpresas que sua nova vida lhe propunha.



A história também ganhou uma adaptação para filme e dorama, ambos lançados em 2005. O dorama conta com 11 episódios com cerca de 45 minutos de duração cada e um episódio especial. O filme contém 1h38min aproximadamente. 


Olá Leitor,
Obrigado por ter acompanhado essa leitura até o fim. Espero que ela lhe seja de muito agrado. Não esqueça de nos deixar sua opinião sobre. Vale ressaltar que ainda não tive o prazer da leitura desse livro, que como dito acima se encontra indisponível em qualquer loja online. Vamos ficar na torcida de um novo lançamento da editora NewPop.








3 de fevereiro de 2018

Resenha Nacional | Parceiros | Embora o Mundo Tivesse Cor - Gustavo Guza

fevereiro 03, 2018 0 Comments


Título: Embora o Mundo Tivesse Cor
Autor: Gustavo Guza (Pedro Moreira)
Ano de lançamento: 2014
Editora: Multifoco
Páginas: 68




Sinopse

Um livro que possui um tom amargo, mas que revela uma esperança sutil. A esperança é de inteira responsabilidade do leitor, que tem de encontrá-la nas entrelinhas da dor. Os contos aqui presentes denunciam a angústia das pessoas - anônimas e esquecidas. Retrata a vida cinza num mundo que possui cores. A vida vivida no modo 'preto e branco'. O desejo do homem é pintar sua existência com as cores que deseja encontrar.


O Autor


Pedro Moreira (Gustavo Guza) nasceu em Itaí em 18 de abril de 1995. Antes de saber ler admirava os livros imensamente. Cresceu inventando histórias na cabeça. Aos 12 anos queria ser músico e compunha algumas canções, mas abandonou por achá-las ruins. Aos 14 se aventurou em escrever crônicas que eram publicadas pelo blogue da biblioteca de sua escola. Depois, publicou alguns contos e poemas em revistas de literatura independente na internet. Em 2014 apareceu uma coletânea de contos,Embora o mundo tivesse cor, que foi editado pela Multifoco. Em 2016, publicou seu primeiro livro de poemas, Oitenta e três idades, uma reunião de tudo que produzira até então.
Pedro também é parceiro do Ler, Resenhar e Postar.


Consideração


Quando na sinopse, Pedro Moreira (de pseudônimo Gustavo Guza) usou os termos tom amargo, entrelinhas da dor, angústia, não pude imaginar o quão sério ele falava. Pude sentir o profundo sentimento, o grande pesar que ele retrata em cada conto. Confesso que ao lê-lo numa manhã nublada e chuvosa de segunda-feira meu coração diminuiu. Não apenas o dia era cinzento, minha alma tomou aquelas cores para si. Os sentimentos que Pedro deposita nas paginas foram facilmente absorvidos por mim, pois fazem parte do que somos. Abaixo algumas frases que me marcaram.


Estou apenas vomitando-me neste papel, na esperança de ser compreendido, quem sabe, por alguém deste globo.
- Feliz Aniversário - Página 31 - 



Não pendia para o futuro e nem para o passado, decerto, nem vivia o presente. Apenas sobrevivia.
- Relapso - Página 50/51 -



O tempo é um monstro que o ser humano criou para auxiliá-lo na sua mania de catalogar, listar e organizar tudo.
- Relapso - Página 51 -



Mas o destino não permitiu que a podridão lhe desse fim. Era santa. Era incorruptível. Santa anônima da vida. Mulher; e nada mais. 
- Dona Soledade - Página 65 - 




No total somam 13 contos, muito bem desenvolvidos, escritos de forma poética, delicados, que não apenas se tornam uma leitura, e sim uma experiencia, se tornam um espelho da alma humana desesperada por um pouco de cor em meio a tanto cinza. Como minha primeira experiencia com uma leitura do tipo posso dizer que realmente me encantei.


E ai amigo leitor?

Hoje eu vos trouxe uma resenha nacional do mais novo parceiro da LRP, Pedro Moreira, que pode ser encontrado na aba Parceiros ali em cima. Espero que gostem do livro tanto quanto eu gostei, do fundo do meu coração.
Não esqueça de nos deixar sua opinião sobre a leitura.










Fontes: O Autor.

2 de fevereiro de 2018

Resenha Nacional | Coulrofobia, L. J. Lunewalker

fevereiro 02, 2018 22 Comments

Título: Coulrofobia
Autor: L. J. Lunewalker
Ano de lançamento: 
2017 
Editora: 
LJ Books
Páginas: 58
.

Sinopse



Há muito tempo um grupo de vizinhos matou um inocente e agora eles tentam se esquecer disso. Eles tentaram mascarar seus pecados com uma festa em homenagem a esse inocente, um festival de sua alegria. O incidente caiu no esquecimento, o Orfanato de São Miguel ficou em paz… Pelo menos até agora.


As crianças do Orfanato têm sido vistas em desespero, o caos se instaura quando elas começam a se suicidar diante de um quadro, todas elas com um enorme sorriso no rosto.

.

O autor

L. J. Lunewalker nasceu em 94 em terras distantes da Amazônia e foi adotado por terras pantaneiras. Um fã de literatura simples, mas com mensagens, ele admira Stephen King, Neil Gaiman, Charles Bukowski e Chuck Palahniuk, além de vários outros, mas traz consigo também um grande carinho pelos novos autores brasileiros, com quem tenta manter boas relações.

Também é fã de punk e goth-rock, além de power metal e vários podcasts. Alucinado por café, camisas xadrez e lendas urbanas, busca assim um caminho entre as novas palavras para entreter a todos.
.


Minhas considerações


Coulrofobia é o termo psiquiátrico usado
para aqueles que têm medo de palhaços.

Sabe aquele livro que tem uma história surpreendente, mas infelizmente acaba rápido demais? Pois é, tudo que é bom dura pouco e nesse caso, além de bom, foi sensacional.

Coulrofobia é uma narrativa que me prendeu do começo ao fim em seu enredo aterrador. A referência à obra It, de Stephen King, só aumentou minha animação em lê-lo, mas confesso que, quando soube que seriam poucos capítulos, tive receio que a história fosse negligenciada em algum ponto, mas tranquilizo-os ao informar que estava absolutamente enganada.

A obra é composta por 58 páginas, mas o autor não deixa a desejar no desenrolar dos acontecimentos e, embora seja uma leitura rápida, os personagens possuem uma profundidade considerável que faz com que, ao final da trama, tenhamos nos apegado a eles.

A habilidade do autor em finalizar essa novela em tão poucos capítulos é notável, Coulrofobia é composta por um começo, meio e fim impecável movido a sangue e muito terror psicológico.

Ela sorria escancaradamente, mas seus olhos estavam chorosos.
Uma lágrima fina escorria do olho esquerdo e fazia seu caminho até
os lábios da garota, agora torcidos em um sorrir anormal. Ela não
parava de sorrir. Ela não piscava. Parecia sequer estar respirando.
Capítulo 3, Lilian.





Olá, amigo leitor!
Como tem passado?

Hoje deixo para vocês essa obra incrível que recebemos do próprio autor, o querido L. J. Lunewalker, pessoa muito simpática que demonstrou muito talento nesse livro, onde o mesmo vocês podem encontrar na Amazon pelo link ali em cima! Críticas, ideias e opiniões deixem aqui nos comentários para sabermos como estamos nos saindo com o blog! Beijo, galera e até a próxima resenha!


Fonte: Skoob, Contato do Autor

1 de fevereiro de 2018

Mangá | Ibitsu - Ryou Haruto

fevereiro 01, 2018 24 Comments

Título: Ibitsu
Autor: Ryou Haruto
Ano de lançamento: 2000
Editora: 
Square Enix
Páginas: 208




Sinopse

A história fala sobre Itou Kazuki, um garoto que enquanto ia jogar seu lixo fora de noite encontra uma garota estranha, suja, vestida de lolita sentada perto dos sacos de lixo. Ela pergunta para ele se ele tem uma irmã mais nova, ele responde que sim. Correndo para seu apartamento ele olha para fora pela janela, a lolita não estava mais lá. Quem é essa estranha mulher, e por que ele está com esse sentimento estranho?


Consideração

Num golpe de sorte do destino, certo dia, encontrei esse mangá numa lista de download, e como estava interessada em novos mangás resolvi baixar e ler. Hoje agradeço por tê-lo feito. Além de uma história assombrosa, os traços são bem feitos, de modo a deixar tudo mais intenso.

Ibitsu é um mangá de terror onde um estudante de designer, Itou, numa noite escura voltava pra casa quando ao passar por um monte de lixo se depara com uma lolita, suja e maltrapilha. Itou tenta passar rápido mas ela lhe faz a seguinte pergunta:

Ei, você tem uma irmã mais nova?

Assustado, ele responde e vai embora. Após esse encontro coisas assustadoras começam a acontecer em sua vida, o que inclui a perseguição dessa estranha lolita. Entre sustos, perseguições e assassinatos, Itou se encontra cada vez mais louco e solitário, e suas tentativas de se afastar da garota parecem nunca dar certo. A cada vez que ele pensa estar livre ela volta mais louca do que antes.

O mangá, que conta com dois volumes, segue em torno de uma lenda urbana chamada "A Estranha Lolita" onde, a meia noite, uma garota vestida de lolita te perguntará se você tem uma irmã mais nova, ou se precisa de uma.
Cada um do volumes contém uma história de terror extra, paralela ao conto principal.
A história do volume 01 se chama O Corredor das Bonecas e tudo gira em torno de uma lenda urbana, de que se um casal escrever seus nomes na "parede da felicidade" no ultimo andar de uma antiga fabrica de bonecos eles serão felizes juntos para sempre.
A história do volume 02 se chama O Misterioso Conto do Editor e se trata de uma possível lenda urbana, nada confirmado, onde uma mulher se apresenta como editora de uma revista famosa para contratar os serviços de seu artista favorito de mangá para que ele desenhe seu personagem favorito.



Acima uma das minhas cenas favoritas. Ficou curioso? Só lendo pra saber.



Olá Leitor,
Esta foi minha primeira resenha de mangá, espero que a primeira de muitos. Mas preciso avisá-lo leitor, que este mangá contém algumas cenas de mutilação que podem não ser muito agradáveis, nada muito pesado.
Não esqueça, caso venha a lê-lo venha nos dizer o que achou. Sugestão, elogio, critica, duvida? Estamos sempre a disposição através da aba contato ou dos comentários.











31 de janeiro de 2018

Resenha Nacional | Contos Fantásticos do Folclore Brasileiro, Junior Salvador

janeiro 31, 2018 21 Comments

Título: Contos Fantásticos do Folclore Brasileiro
Autor: Junior Salvador
Ano de lançamento: 
2018 
Editora: 
Independente
Páginas: 157


.

Sinopse


Contos Fantásticos é a coletânea de contos que dá vida aos personagens do folclore brasileiro de uma maneira nunca antes vista. O livro conta com diversas histórias vivenciadas pelos personagens de maneira atemporal. O Saci-Pererê lutará para conseguir sua carapuça de volta e, para isso, vale até mesmo enfrentar a Mula-Sem-Cabeça; A Cuca tentará sequestrar uma criança, mas não faz ideia de quem ela é filha; Curupira e Cumade Fulôzinha precisam lidar com a ira do Caipora e Taîasu, seu monstro de estimação; Iara busca uma nova vida no mar, cantando em um luxuoso navio; um Caçador deseja exterminar todos os seres mágicos e o primeiro da lista é Jurupari; um menino tagarela envolve-se com uma misteriosa criatura e isso faz dele um novo mito brasileiro. Surpreendente e cativante, Contos Fantásticos é também aporta de entrada para o rico universo criado por Junior Salvador.
.
O autor


Junior Salvador é um jovem escritor brasileiro nascido no interior do estado de São Paulo. Com graduação em letras e direito, escreve poesia contos e romances. Em 2017 lançou suas 03 primeiras obras: As luzes do Arrebol, uma coletânea de versos singelos; e Vidas Breves, uma antologia de contos realistas e fantásticos; e Contos Fantásticos do Folclore Brasileiro, o primeiro livro de uma série que pretende reinventar os mitos brasileiros.
.


Minhas considerações


Eu descreveria essa obra como uma narrativa envolvente e inovadora de nosso folclore, com elementos muito bem aproveitados e enredos autênticos.

Esse foi o primeiro livro que li cem por cento sobre o folclore brasileiro e confesso que me surpreendeu bastante. As expectativas que criei antes da leitura foram superadas ao longo da mesma pelo desenvolvimento único do autor. Cada conto trás um - ou mais de um - ser mágico como protagonista em um enredo inusitado e acrônico, sendo alguns deles conectados pelos acontecimentos de seus desfechos. 

Embora sejam seres míticos, cada um é descritos de forma palpável ao leitor, onde é impossível sermos alheios aos seus sentimentos que afloram ao exporem seu lado humano, que, além de tristezas, possuem desejos, sonhos, temores e ressentimentos revividos por eras.

A escrita é harmônica e imprevisível na maioria dos contos. Em boa parte deles foram me apresentados personagens que nunca ouvira a respeito, claro que deve ser pela minha ignorância da cultura - algo a me envergonhar, admito -, mas justamente por isso o livro me despertou imensa curiosidade em me aprofundar no assunto, algo que farei aos poucos para absorver bem as informações e repassar o conhecimento a diante.

Conhecendo ou não as lendas indígenas essa é uma leitura magnífica com uma ótima escrita e desenvoltura fantástica. A conexão de alguns contos deram um ar de que uma longa história viria a seguir e, se o autor estiver pensando nisso, ficarei ansiosa pela continuação. Quem sabe não somos surpreendidos...



Iara sorriu, doce como podia ser. O vento bateu em seus cabelos negros e ela fechou os olhos enquanto respondia, como se revivesse lembranças difíceis e outras inesquecíveis. A maresia era intensa naquela noite de inverno.
- Na verdade, eu amo o rio Solimões. Eu não nasci lá, mas posso dizer que devo minha vida a ele.
- Conto O mar em uma noite de lua cheia



Olá, amigo leitor!
Como vai?
Prometi que traria muitos nacionais aqui no blog e estou fazendo o meu melhor para seguir isso a risca. No momento minhas resenhas saem somente às sexta-feiras, porém é provável que a frequência aumente daqui um curto tempo devido aos muitos livros que estou lendo e querendo muito, mas muito compartilhar com vocês. É difícil aguentar até sexta! Hahaha.
Bem, como sempre, espero que a resenha tenha sido satisfatória e - pra conferir - deixe um comentário pra sabermos como anda nosso trabalho. Beijo e até mais!


AH! Quem quiser conferir esse livro do Junior Salvador, corre que está na Amazon!









30 de janeiro de 2018

Resenha Nacional | Minha Primeira Paixão - Pedro Bandeira e Elenice Machado de Almeida

janeiro 30, 2018 22 Comments


Título: Minha Primeira Paixão
Autor: Pedro Bandeira e Elenice Machado de Almeida
Ano de lançamento: 1999
Editora: Editora FTD
Páginas: 88




Sinopse

Frida e seus cachinhos ruivos. Pimpo e seus óculos de aros pretos. Frida sentada na carteira à frente de Pimpo, na sexta série. Uma implicância feroz nasce imediatamente entre os dois. Provocação: "Batata-Frida!", "Cara-de-coruja!". Da provocação, os dois partem para a guerra aberta. Até que eles começam a sentir que quem implica muito com o outro é porque gosta dessa pessoa...
Esta história começou a ser escrita por Elenice Machado de Almeida. Mas uma doença foi mais forte do que o amor de Elenice pela vida. Junto com a saudade, Elenice deixou os cinco primeiros capítulos deste livro. Pedro Bandeira tomou para si essa paixão, o nascimento do amor entre jovens, e completou esta linda história que você agora tem nas mãos.


Os Autores

Elenice Machado de Almeida nasceu em São Paulo. Fez o curso de línguas Neolatinas na Faculdade Sedes Sapientiae, formando-se professora. Mas nunca exerceu a profissão. Casou-se com um médico neurocirurgião com quem teve quatro filhos. Na hora de dormir contava-lhes velhas histórias e, quando o estoque acabava, inventava novas.
Pedro Bandeira nasceu em Santos, em 1942. Trabalhou em teatro profissional como ator, diretor e cenógrafo. Foi redator, editor e ator de comerciais de televisão. A partir de 1983 tornou-se exclusivamente escritor. Sua obra, direcionada a crianças e jovens, tem ganhado diversos prêmios, como Jabuti, APCA, Adolfo Aizen e Altamente Recomendável, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Já vendeu mais de 20 milhões de exemplares de seus livros.


Consideração


Uma história sobre amor escolar que nos leva diretamente a nossa juventude. As implicâncias, os apelidos bobos, as brigas, tudo faz parte de uma paixão saudável entre dois colegas de classe, mas ninguém da o braço a torcer. E é nesse ritmo que Frida e Pimpo desenrolam sua história. A cada pagina lida eu me sentia mais próxima deles, como se aos poucos eu fosse entrando na história, como se o tempo todo eu estivesse sentada na carteira do canto, enquanto Frida ia até o quadro resolver um problema de matemática, ou observando Pimpo escrever um de seus poemas. Elenice e Pedro me levaram a viajar em um novo mundo, onde apenas uma pagina não satisfazia, eu precisava de mais, eu precisava de Frida e Pimpo, eu precisava da implicância, precisava do amor, precisava sentir aquela escrita simples que me satisfazia. O único problema de Minha Primeira Paixão é que existe um fim.


Culpa daquela sardenta cacheada que fez eu me distrair outra vez...
 - Pimpo - Pagina 28 -


Ele nem desconfia da vingança que eu preparei para ele.
- Frida -  Página 48 -


Olá Leitor,
Essa é minha primeira resenha nacional, do primeiro livro nacional que eu li, ainda na escola, nas aulas de português. Um grande agradecimento a minha professora, Vânia, e suas aulas de leitura em sala. E um grande agradecimento a você, leitor, que leu minha resenha até o fim.

Alguma indicação nacional? Deixe nos comentário, ou mande um email através da pagina Contato ali em cima. Adoramos estar perto dos nossos amigos leitores.




29 de janeiro de 2018

Resenha Nacional | Só por uma noite - Mônica e Monique Sperandio

janeiro 29, 2018 20 Comments

Título: Só por uma noite
Autor: Mônica e Monique Sperandio
Ano de lançamento: 2016
Editora: Novo Conceito (Categoria Novas Páginas)
Páginas: 189

.

Sinopse

Uma noite. Quatro amigas. Muitos segredos. Uma lista.

- Ir para um cemitério no meio da noite (✔️)

- Mudar completamente o visual (✔️)

- Descobrir um terrível segredo sobre suas amigas (✔️)

- Confessar que está apaixonada pelo seu melhor amigo (✔️)

Samanta Calliari tem vivido com medo durante a sua vida toda. Por causa disso, ela tem se privado de viver intensamente. Uma prova dessas privações é a paixão secreta que Sam tem pelo seu melhor amigo, Gustavo. Só que ela não está sozinha nessa. Suas três melhores amigas, Nat, Marina e Daphne, também sentem medo. Elas irão acompanhar Samanta na noite mais reveladora de suas vidas, onde enfrentarão seus maiores medos, devido a uma lista de desafios deixada para elas cumprirem. 


Então o que, possivelmente, poderia dar errado na tão esperada noite das quatro amigas? Quase tudo, é claro. Declarações de amor frustradas, verdades engasgadas e loucuras em cada item da lista as aguardam nessa noite.



Para sobreviver a lista de desafios e para revelar a verdade para suas amigas, Samanta vai precisar de toda a sua coragem. Mas como ela irá fazer isso se toda vez que é corajosa algo a sua volta desmorona?
.

As autoras


Mônica e Monique Sperandio são curitibanas, leitoras, escritoras, sonhadoras e dramáticas. São viciadas em viajar, ler, ver seriados, ouvir música e amam o verão. Os escritores favoritos das gêmeas são: Clarice Lispector, J.K. Rowling, Cornelia Funke, Meg Cabot, Libba Bray e Amy Huntley.


Além de autoras dos livros O diário de uma adolescente mascarada (2010), Sete Vidas (2011) e Só por uma noite (2016) também possuem o blog Gêmeas Escritoras em que registram suas ideias e viagens pelo mundo entre outras redes sociais que você encontra através do blog.

.

Minhas considerações

Me deparei com esse livro na minha busca por títulos nacionais para o blog e de cara achei que seria muito adolescente... E de fato é. Porém finalizei a leitura com uma perspectiva totalmente diferente da qual iniciei.

Não estou dizendo que o livro é ruim por ter achado adolescente, pelo contrário, achei o enredo muito bacana e original, embora a personalidade de alguns personagens seja um pouco clichê. No geral é uma história bem dramática e cheia de segredos que são revelados no decorrer da noite entre quatro amigas que pensavam saber tudo uma da outra, mas uma lista de desafio deixada por uma quinta amiga faz com que, em algumas horas, elas sejam bombardeadas por revelações que vão por à prova o significado de amizade.

A história é narrada em primeira pessoa pela Samanta - ou Sam - que nos guia na trajetória do tour pela noite de Curitiba de forma divertida e sentimental; Sempre com reflexões sobre seus problemas familiares e suas mágoas do passado, ela se esforça para superá-los a cada desafio da lista de forma física e emocional com uma profundidade de pensamentos notável.

Os personagens centrais tem a média de 17 anos e acabaram de sair do ensino médio, então é previsível que a trama seja repleta de dramas adolescentes que, se você for mais velho, já passou e, se não for, vai passar, mas não é nada que desabone as aventuras vividas. Eu gostei bastante da leitura desses momentos, pois me fez reviver muita coisa da minha própria adolescência - já que depois que passamos por ela esquecemos de como era essa sensação de descoberta - então acaba nos dando aquele sentimento de nostalgia de uma forma boa. Além disso a narrativa é muito fluída e cheia de frases que nos fazem interromper a leitura para pensar a respeito dos diversos contextos em que ela se encaixa, sendo assim eu separei algumas que acho que valem a pena ressaltar pra encerrar nosso post de hoje e podem ter certeza que levarei esse grupo de amigas pra sempre no coração.



Tantas palavras não ditas. Tantas lembranças. Tantos erros, acertos e conquistas. Alguém se lembra deles? Essas pessoas conseguiram deixar sua marca no mundo?

É engraçado, não é? Nós achamos que temos todo o direito de não
contar certas coisas para as pessoas, mas quando a situação se inverte, nós
achamos isso ruim.


Confiança é uma coisa estranha, no mínimo.

Capítulo 4.


Às vezes a realidade está bem diante de nós, mas nós estamos ocupados ou enganados demais para notá-la.

Capítulo 11.

Pude ver que a vida é realmente boa depois que você apanha e decide não se deixar levar pela dor. A vida está aí para quem se arrisca e nunca desiste.

Capítulo 12.


Olá, leitores!
Hoje trouxe a primeira resenha nacional aqui no blog e espero que gostem dessa indicação de leitura. Espero, em breve, trazer muito mais livros de autores nacionais não tão conhecidos para que sejam divulgados através do LRP. Acredito que no nosso país temos muito talento a ser revelado, porém por diversos fatores esses talentos não recebem o devido apoio, oportunidade ou reconhecimento  que poderiam ter, sendo assim, espero conseguir reverter, ao menos um pouquinho, o quadro literário que estamos habituados: muito consumo de livros estrangeiros e pouco interesse nos nacionais.

Se você tem algum livro para indicar nesse quadro, deixe nos comentário ou nos envie as dicas no nosso Contato do blog! Até mais.

Procurando algo?

Nos acompanhe no Instagram!

Arquivo do Blog